CAINDO NA REAL

Às vezes precisamos parar o turbilhão de coisas que estamos fazendo e mergulhar em nós mesmos para lembrarmos quem somos.

Tenho sentido uma necessidade imensa de ficar completamente sozinha, em silêncio e principalmente sem contato com outras pessoas. Aquela pequena vontade de jogar o celular longe e de desligar a wi-fi por uns dias, sabe? Acho que é o resultado desses já sete meses vividos sendo tudo virtual e online. A gente recebe todos os dias uma quantidade sem fim de conteúdos por aqui. 

Mas bem, ocorre que precisava ver os dez vídeos do programa “caindo na real” e o mergulho que fiz foi para dentro. Me explico: os vídeos nos trazem um turbilhão de informações e cada um de um jeito único e específico.

Cada vídeo aqui apresentado me fez lembrar e pensar nas minhas memórias, nas minhas histórias e no meu passado. No que já vivi e senti. Me vi neles e fui mergulhando para dentro de mim. Fiquei pensando nesse diálogo entre o mundo de dentro e o mundo de fora, essa conversa que permanece. O mundo que nos invade a todo instante. 

 

O que quero dizer com tudo isso (e espero que tenha conseguindo minimamente) é que os dez vídeos desta semana, para mim, são um convite para que cada um desperte suas memórias pessoais e crie a sua própria narrativa para eles. São tempos difíceis e mais do que nunca precisamos nos permitir nos ver e nos entender nesse mar de informações diárias que vivemos. Só assim não esqueceremos quem somos.


Fernanda Medeiros* 

*Fernanda Medeiros vive e trabalha em Porto Alegre. É curadora, pesquisadora, editora e historiadora da arte. Atual curadora-assistente, coordenadora de operação e coordenadora dos Núcleos de Curadoria e Comunicação do Museu de Arte do Rio Grande do Sul – MARGS. Especialista em curadoria pela Pós-Graduação Lato Sensu em Práticas Curatoriais do Instituto de Artes (IA) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), bacharel em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e graduanda do Bacharelado em História da Arte, também pelo IA-UFRGS. É idealizadora e editora da Cactus Edições, selo de publicações de artistas. Atuou como produtora na Bronze Residência, é uma das produtoras e idealizadoras do festival de videoarte “C4NN3S” e da Feira Folhagem de publicações. Foi coordenadora do Centro de Documentação e Pesquisa da Fundação Vera Chaves Barcellos (2012-2019) e sócia-fundadora, curadora e produtora no Acervo Independente (2014-2017).